archive-org.com » ORG » M » MPPM-PALESTINA.ORG

Total: 440

Choose link from "Titles, links and description words view":

Or switch to "Titles and links view".
  • Concurso Escolar
    dos 2º e 3º Ciclos de Real Braga Ana Pinho Ana Bastos e Cátia Almeida da Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Carregosa Oliveira de Azeméis três professores Professor Aníbal Serra da Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Poceirão Palmela Professora Carla Ferreira da Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Real Braga Professor Nelson Gomes da Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Carregosa Oliveira de Azeméis um representante da Delegação Geral da Palestina o jornalista José Manuel Rosendo e em representação do MPPM Amador Clemente Partindo de Amã o grupo iniciou a sua visita à Palestina por Jericó tendo sido recebido na Academia de Segurança e visitado o Palácio de Hisham e o Monte Sultan Em Ramallah onde ficou alojado avistou se com a Dra Ana Coelho membro da Delegação Portuguesa na Palestina que se deslocou ao Hotel para lhe dar as boas vindas Deslocou se no dia seguinte a Jerusalém Oriental tendo visitado nomeadamente o Monte das Oliveiras o Santo Sepulcro e o Muro das Lamentações O terceiro dia da vista foi passado em Nablus onde a delegação portuguesa foi recebida na União Democrática das Mulheres no Governo Civil onde teve um encontro com o Governador Civil na Câmara Municipal onde foi recebida pelo seu presidente na Universidade de An Najam onde foi recebida por um representante do reitor e se avistou com uma professora portuguesa Dra Micaela Miranda que exerce actualmente a sua actividade no Freedom Theatre em Jenim e que irá ser a leitora do primeiro curso de língua portuguesa a ser ministrado na Palestina Houve ainda uma visita ao Centro Cultural EVE e um passeio a pé pela zona histórica da cidade O dia terminou com uma visita ao Campo de Refugiados de Balata No dia seguinte a comitiva portuguesa deslocou se a Belém onde foi recebida na sede da Juventude da Fatha tendo partido daqui acompanhada de um grupo de jovens para uma passeio pela cidade que incluiu a Igreja da Natividade À tarde visitou a Associação de Presos Políticos Palestinos o Campo de Férias Feminino da Juventude da Fatah e o Campo de Refugiados de Aida terminando o dia no Campo de Pastores de Beit Sahur onde foi recebida pelo Presidente do Município que nesse mesmo dia havia regressado de Portugal O quinto dia foi passado em Ramallah Iniciou se na Representação Diplomática de Portugal na Palestina onde a delegação teve uma entrevista com o Embaixador Jorge Torres Pereira Dirigiu se depois acompanhada pelo Embaixador Português para a Fundação Yasser Arafat onde foi recebida pelo seu presidente Dr Nasser Alkudwa Após um encontro como Dr Nabil Shaath ex Ministro dos Negócios Estrangeiros o grupo dirigiu se à Universidade de Birzeit onde foi recebido por Heba Hammad responsável pelas Relações Públicas da Universidade De tarde teve uma reunião no Ministério dos Negócios Estrangeiros Departamento de Negociações com o Dr Xavier Abu Eid após o que se dirigiu a casa do Padre Católico Manuel Mussalam que é membro

    Original URL path: http://www.mppm-palestina.org/index.php/concurso-escolar (2016-04-25)
    Open archived version from archive

  • História da Palestina
    1933 Janeiro Ascensão de Hitler ao poder A política anti semita do III Reich estimula a emigração judaica para a Palestina 1936 1939 A Grande Revolta Palestina dirigida contra a autoridade britânica e contra a colonização sionista e considerada o acontecimento fundador do movimento nacional palestino tem várias consequências importantes enfraquecimento da elite política palestina em consequência da repressão surgimento da ideia de uma partilha e da transferência de populações nascimento de uma economia judaica separada em consequência do boicote palestino conversão das milícias sionistas em verdadeiros exércitos 1937 7 de Julho A Comissão Peel recomenda a partição da Palestina atribuindo 33 do território a um estado judaico 1939 17 de Maio Face às ameaças de guerra o Livro Branco britânico preconiza independência para 1947 a limitação e a submissão da imigração judaica ao acordo dos habitantes árabes e medidas restringindo a aquisição de terras pelos sionistas 1941 1945 Durante a II Guerra Mundial o nazismo leva a cabo uma política de genocídio vitimando milhões de judeus 1943 22 de Novembro Reconhecimento da independência do Líbano 1945 22 de Março Fundação da Liga Árabe pelo Egipto Iraque Líbano Síria Transjordânia e Arábia Saudita a que se junta o Iémene em 5 de Maio 1946 Abril As tropas francesas deixam a Síria marcando de facto a independência proclamada em 1941 e reconhecida em 1944 22 de Julho Militantes sionistas do Irgud orientados por Menachem Begin fazem explodir o Hotel King David em Jerusalém matando 91 pessoas 25 de Maio Fim do mandato britânico na Transjordânia 324 de Julho Na sequência do relatório da comissão de inquérito anglo americana é apresentado o Plano Morrison Grady que estabelece dua regiões semi autónoma uma judaica outra árabe sob tutela britânica 1 de Dezembro Retirada das tropas francesas do Líbano formalizando a independência reconhecida em 1943 1947 14 de Fevereiro A Grã Bretanha anuncia a sua renúncia ao Mandato sobre a Palestina 29 de Novembro As Nações Unidas votam a Resolução 181 que prevê a partilha da Palestina entre um estado judaico 55 da área do país um estado árabe 44 e uma zona internacional os Lugares Santos Jerusalém e Belém As autoridades sionistas aceitam o plano os árabes recusam 1948 Março É finalizado o Plano Dalet Sendo alegadamente um plano de contingência para defender o estado judaico de uma invasão tinha na realidade dois objectivos ocupar todas as instalações civis e militares quando viessem a ser evacuadas pelo e britânicos e proceder à limpeza étnica dos palestinos do futuro estado judaico 9 de Abril Massacre de Deir Yassin 117 habitantes desta aldeia próximo de Jerusalém são assassinados por elementos dos grupos sionistas Irgun e Lehi 14 de Maio As forças britânicas retiram da Palestina deixando a maior parte do seu armamento aos grupos sionistas David Ben Gourion proclama o Estado de Israel para cumprir a sua parte do Plano de Partilha voltar ao topo 3 DA NAKBA AO SETEMBRO NEGRO 1948 15 de Maio Exércitos dos países árabes limítrofes Egipto Transjordânia Síria Líbano e Iraque invadem Israel e a Palestina para defesa dos direitos do Palestinos A guerra prolonga se por quase um ano e termina com a derrota da coligação árabe Os sionistas apropriam se de 78 do território da Palestina Do restante 20 5 a margem ocidental do Jordão ficam anexados à Jordânia e 1 5 a faixa de Gaza fica sob administração egípcia Mais de 700 000 Palestinos refugiam se nos países árabes vizinhos Os povos árabes designam este período por Nakba desastre 16 de Setembro Um plano proposto pelo Conde Bernardotte mediador das Nações Unidas para a Palestina propõe uma partilha mais justa do território No dia seguinte ao da apresentação do plano é assassinado pelo Lehi um grupo clandestino sionista 11 de Dezembro A Assembleia Geral da ONU aprova a Resolução 194 que apela ao fim das hostilidades e preconiza o direito ao regresso dos refugiados palestinos e a atribuição de compensações 1949 11 de Maio Israel torna se membro das Nações Unidas Dando cumprimento à Resolução 62 do Conselho de Segurança da ONU de 16 de Novembro de 1948 são assinados acordos de armistício entre Israel e o Egipto 24 de Fevereiro Líbano 23 de Março Jordânia 3 de Abril e Síria 20 de Julho 1950 Abril Anexação da Cisjordânia pela Transjordânia O Egipto controla Gaza Declaração tripartida dos EUA Grâ Bretanha e França reconhece as fronteiras do Médio Oriente como definitivas 1952 23 de Julho Golpe de Estado militar no Egipto Os Oficiais Livres de Gamal Abdel Nasser derrubam a monarquia 1955 Incursões israelitas em Gaza 1956 29 de Outubro Em resposta à nacionalização pelo Egipto do Canal do Suez em Julho Israel numa acção concertada com a França e a Grã Bretanha invade o Sinai Campanha do Sinai As tropas israelitas só retiram ao fim de vários meses por pressão da ONU e dos EUA 1958 14 de Julho Militares põem fim ao regime hachemita no Iraque Desembarque de fuzileiros americanos no Líbano 15 de Julho e de forças britânicas na Jordânia 17 de Julho 1959 10 de Outubro Arafat e outros palestinos no Kuwait fundam a Fatah Vitória acrónimo invertido de Harkat Al Tachrir Al Watanni Al Falestina Movimento de Libertação da Palestina 1961 20 de Julho Independência do Kuwait 1964 13 a 17 de Janeiro Primeira cimeira dos Chefes de Estado árabes no Cairo 29 de Maio Criação da Organização de Libertação da Palestina sob o patrocínio de Nasser e liderança de Ahmad Shukeiri 1965 1 de Janeiro Primeira operação armada da Fatah em território israelita reivindicado pela Al Asifa Tempestade As autoridades israelitas suprimem a administração militar que rege a vida dos palestinos de Israel desde 1948 1967 5 de Junho Guerra dos Seis Dias Israel ocupa a Cisjordânia a Faixa de Gaza e Jerusalém Oriental bem como o planalto sírio do Golã e a península egípcia do Sinai Novo êxodo de 200 000 palestinos e 120 000 sírios 22 de Novembro O Conselho de Segurança da ONU aprova por unanimidade a Resolução 242 que reconhece o direito de Israel à existência e à segurança e determina a retirada israelita dos territórios ocupados na Guerra dos Seis Dias 1968 Março Batalha de Karameh povoação jordana atacada por Israel Os fedayin palestinos apoiados pelo exército hashemita infligem uma derrota às tropas judaicas 1969 1 a 4 de Fevereiro Yasser Arafat assume a direcção da OLP 17 de Março Golda Meir torna se Primeiro Ministro de Israel Agosto A Fatah e a Frente Democrática de Libertação da Palestina FDLP declaram se a favor de um Estado palestino democrático e laico onde judeus cristãos e muçulmanos tinham os mesmos direitos e os mesmos deveres 1970 Setembro Os guerrilheiros palestinos baseados na Jordânia envolvem se em guerra com as tropas beduínas do rei Hussein Hussein ordena a expulsão dos fedayin após batalhas sangrentas de que resultam 4 000 mortos Uma boa parte dos fedayin refugia se no Líbano fazendo germinar a guerra civil que rebentará em 1975 Novembro O grupo Setembro Negro criado por Abu Iyad reivindica o assassinato do primeiro ministro jordano Wasfi Tell como retaliação pela guerra civil de Setembro 1972 5 de Setembro O Setembro Negro ataca a aldeia olímpica de Munique matando dois atletas israelitas e sequestrando outros 11 Um ataque falhado da polícia alemã origina a morte de mais 9 israelitas cinco dos oito assaltantes e um polícia alemão voltar ao topo 4 DO YOM KIPPUR À PRIMEIRA INTIFADA 1973 6 de Outubro O Egipto a Síria e a Jordânia surpreendem Israel com uma guerra no Yom Kippur o dia da Expiação no calendário judaico 21 de Outubro O Conselho de Segurança da ONU aprova por unanimidade a Resolução 338 que exige uma paz justa e duradoura e o reconhecimento do direito de todos os Estados da região a viver em segurança 26 a 28 de Novembro Cimeira árabe de Argel em que a OLP é reconhecida como único representante do povo palestino 1974 9 de Junho O Conselho Nacional Palestino parlamento no exílio aprova a instauração de uma Autoridade Nacional Palestina em todas as partes do território palestino libertado ou evacuado por Israel 14 de Outubro A Assembleia Geral da ONU numa deliberação aprovada por 115 votos contra 4 EUA Israel Bolívia e Rep Dominicana convida a OLP a representar o povo palestino numa sessão daquele organismo 23 de Novembro Arafat discursa na Assembleia Geral da ONU No final da sessão uma esmagadora maioria atribui à OLP o estatuto de observador privilégio até então apenas concedido ao Vaticano e à Suíça 1975 Abril Começo da guerra civil no Líbano Os fedayin estão ao lado das organizações libanesas islamo progressistas em oposição às milícias falangistas da direita cristã que beneficiam do apoio de Israel Primeiro grande massacre no campo de refugiados palestinos de Qaratina A Fatah retalia com um ataque a Damour Mais de 2 000 mortos e deslocados 1976 30 de Março A repressão de uma manifestação de palestinos de Israel contra uma nova vaga de expropriação de terras consagra o Dia da Terra Junho No Líbano a Síria corta a ofensiva palestino progressista e apoia os falangistas 12 de Agosto Massacres no campo de refugiados de Tell Zaatar em Beirute Ocidental perpetrados pelas milícias cristãs libanesas apoiadas pela Síria Número de vítimas estimado em cerca de 3000 1977 17 de Maio Vitória eleitoral do Likud chefiado por Menahem Begin Intensificação clara da colonização 7 de Novembro O presidente Anwar Sadat do Egipto visita Jerusalém e inicia conversações de paz com Israel 1978 14 de Março Israel invade o sul do Líbano 1978 17 de Setembro O presidente egípcio Anwar Sadat e o primeiro ministro israelita Menahem Begin assinam os Acordos de Paz de Camp David 1979 26 de Março Assinatura em Washington por Begin e Sadat do primeiro tratado de paz israelo árabe 1980 30 de Julho Jerusalém Oriental e seus arredores são anexados pelo Estado de Israel 1981 6 de Outubro Anwar Sadat é assassinado no Cairo por um comando integrista islâmico 1982 Agosto Operação Paz na Galileia O exército israelita invade o Líbano e cerca Beirute As forças da OLP são obrigadas a abandonar o Líbano e espalham se por diversos países árabes 14 18 de Setembro Massacre nos campos de refugados de Sabra e Shatila executado pelas milícias cristãs falangistas com a conivência de Ariel Sharon ministro israelita da Defesa em retaliação pelo assassinato de Bashir Gemayel presidente eleito do Líbano O número de vítimas pode ter ascendido a mais de um milhar 1983 10 de Abril Issam Sartawi emissário de Arafat nas negociações secretas com Israel é assassinado em Montechoro Algarve 10 de Outubro Itzahk Shamir torna se primeiro ministro de Israel 1985 Maio A milícia xiita libanesa Amal de Nabih Berri lança a Batalha dos Campos causando a morte de milhares de refugiados palestinos 1 de Outubro Oito caças israelitas voam até à Tunísia e destruem o quartel general de Arafat que só escapa por se encontrar ausente 1987 9 de Dezembro A Intifada Tremor ou revolta das pedras contra a ocupação israelita começa na Faixa de Gaza e alastra rapidamente à Cisjordânia A repressão causa até 1993 a morte de 2 000 palestinos Fundação em Gaza do Hamas Movimento de Resistência Islâmico organização próxima da Irmandade Muçulmana do Egipto voltar ao topo 5 DA PROCLAMAÇÃO DO ESTADO PALESTINO AOS ACORDOS DE OSLO 1988 12 a 15 de Novembro A OLP proclama em Argel um Estado palestino com capital em Jerusalém e aceita as Resoluções 181 e 242 da ONU reconhecendo implicitamente Israel 14 de Dezembro Diante da Assembleia Geral da ONU reunida em Genebra a OLP pela boca de Yasser Arafat reconhece a existência de Israel declara aceitar todas as Resoluções da ONU incluindo a 242 e a 338 e denuncia o terrorismo sob todas as suas formas 1989 3 de Abril Arafat proclamado Presidente da Palestina pela OLP 1990 Início da emigração maciça para Israel de judeus originários da ex URSS Agosto O Iraque invade o Kuwait 1991 Janeiro a Março Uma coligação de países árabes e ocidentais liderada pelos Estados Unidos declara guerra ao Iraque Guerra do Golfo e força à sua retirada do Kuwait 30 de Outubro Abertura da Conferência de Paz em Madrid por Mikahil Gorbatchov e George Bush Reuniões bilaterias entre Israel e os países árabes incluindo o palestinos integrados numa delegação jordano palestina 1992 23 de Junho Itzhak Rabin e o Partido Trabalhista vencem as eleições legislativas em Israel 1993 20 de Janeiro Negociações secretas próximo de Oslo entre uma delegação palestina liderada por Ahmed Qorei Abu Ala e os académicos israelitas Yair Hirshfeld e Ron Pundk 20 de Agosto Israelitas e palestinos rubricam em Oslo uma Declaração de Princípios 9 e 10 de Setembro Reconhecimento mútuo de Israel e da OLP 13 de Setembro Assinatura em Washington por Rabin e Arafat da Declaração de Princípios de Oslo 1994 25 de Fevereiro O extremista judeu Baruch Goldstein abre fogo sobre fiéis muçulmanos na Mesquita de Abraão em Hebron Cisjordânia causando 29 mortos e 150 feridos 4 de Maio Assinatura no Cairo do Acordo de Autonomia de Gaza e Jericó 1 de Julho Arafat deixa Tunes e entra na Faixa de Gaza após 27 anos de exílio 25 de Julho Tratado de Paz entre Israel e a Jordânia 29 de Agosto Transferência de poderes civis para a Autoridade Nacional Palestina nos territórios ocupados 14 de Outubro Prémio Nobel da Paz atribuído a Yasser Arafat Shimon Peres e Itzahk Rabin 26 de Outubro Assinatura em Ein Evrona do Tratado de Paz israelo jordano na presença de Bill Clinton 1995 28 de Setembro Assinatura do Acordo Interino de Oslo que prevê a retirada israelita de várias cidades palestinas e a transferência de poderes para Arafat voltar ao topo 6 DO ASSASSINATO DE RABIN À MORTE DE ARAFAT 1995 4 de Novembro Assassinato de Yitzhak Rabin por um extremista judeu 1996 20 de Janeiro Eleições palestinas na Cisjordânia Jerusalém Leste e Faixa de Gaza Arafat é eleito Presidente da Autoridade Palestina Fevereiro O Likud vence as eleições em Israel e Benyamin Netanyahu torna se primeiro ministro Fevereiro e Março Atentados suicidas do Hamas e da Jihad Islâmica em Jerusalém e Telavive como represália pelo assassinato de Yehia Ayache o ideólogo do Hamas pelos serviços secretos israelitas 13 de Março Cimeira em Sharm el Sheikh sob o patrocínio dos Estados Unidos condena os atentados terroristas Abril Operação Vinhas da Ira de Israel contra o Líbano Morte de uma centena de civis refugiados no campo da ONU de Cana vítimas dos bombardeamentos israelitas 24 de Abril O Conselho Nacional Palestino elimina da Carta Nacional Palestina todos os artigos que põem em causa Israel 29 de Maio Benjamin Netanyahu do Likud derrota Shimon Peres nas eleições israelitas e assume o poder Setembro Confrontos armados entre israelitas e palestinos em consequência da abertura pelos judeus de um túnel por baixo da Esplanada das Mesquitas fazem 76 mortos palestinos 1997 15 de Janeiro Arafat e Natanyahu acordam prosseguir o processo de paz Fevereiro Decisão do governo Netanyahou de construir um colonato em Abu Ghneim Har Homa ao sul de Jerusalém 1998 Junho Projecto israelita de municipalidade única para Jerusalém equivale à anexação da vintena de colonatos da Grande Jerusalém Outubro Negociações de paz em Wye Plantation mediadas por Clinton entre Arafat e Natanyahu não registam progressos 1999 17 de Maio O trabalhista Ehud Barak é eleito primeiro ministro de Israel 2000 Maio Retirada israelita do Líbano 11 a 25 de Julho Negociações de paz em Camp David mediadas por Clinton entre Arafat e Barak Os palestinos recusam a proposta israelita que não permitia um Estado Palestino soberano e viável 28 de Setembro Na sequência do aparecimento de Ariel Sharon chefe do Likud na Mesquita das Esplanadas registam se confrontos que dão origem à Segunda Intifada dita Al Aqsa 16 e 17 de Outubro Israelitas e palestinos reúnem se em Sharm el Sheikh e emitem um acordo oral em três pontos fim da violência criação de uma comissão de inquérito sobre os confrontos e reatamento das negociações de paz Novembro Primeiros bombardeamentos de instalações da ANP em Gaza 2001 21 a 27 de Janeiro Fracasso da Cimeira de Taba patrocinada pelo Egipto e pela União Europeia devido ao desacordo sobre a questão dos refugiados e a demarcação de fronteiras 6 de Fevereiro Sharon eleito primeiro ministro de Israel Dezembro Cerco a Yasser Arafat em Ramallah 2002 Março Na sequência de vários ataques palestinos Sharon ordena a reocupação da Cisjordânia e da Faixa de Gaza Arafat fica cercado em Ramalah durante 30 dias Março Os Estados árabes reunidos na cimeira de Beirute aprovam uma proposta de Paz com Israel a troco da retirada dos territórios palestinos e dos Montes Golã e da obtenção de acordo sobre o estatuto de Jerusalém e sobre o regresso dos refugiados 12 de Março A Resolução 1397 do Conselho de Segurança das Nações Unidas reconhece pela primeira vez a necessidade de um Estado Palestino Abril Israel dá início da construção de uma muralha defensiva o Muro de Sharon que invade territórios autónomos palestinos 25 de Junho O presidente dos EUA George W Bush apela aos palestinos para elegerem novos líderes excluindo Arafat do processo de paz 19 de Setembro Continuação de ataques palestinos levam Sharon a ordenar segundo cerco a Arafat em Ramalah 2003 29 de Abril O Parlamento palestino vota a favor da nomeação de Mahmud Abbas Abu Mazen para primeiro ministro abrindo caminho à aprovação do Roteiro para a Paz um plano dos EUA UE Rússia e ONU que prevê a criação de um Estado palestino até 2005 6 a 10 de Setembro Abbas demite se Ahmed Qorei Abu Ala é o novo primeiro ministro 2004 22 de Março Israel assassina o líder espiritual do Hamas xeque Ahmed Yassin num ataque com mísseis em Gaza 17 de Abril O líder político do Hamas Abdel Aziz al Rantissi é assassinado pelo exército israelita em Gaza 26 de Outubro O Parlamento israelita aprova o plano de Sharon de retirada de soldados e colonos judeus

    Original URL path: http://www.mppm-palestina.org/index.php/historia-da-palestina (2016-04-25)
    Open archived version from archive

  • Cultura Palestina
    Home Cultura Palestina MPPM homenageou Edward Said no 10º aniversário do seu falecimento Edward Said o autor de Orientalismo escritor e activista da defesa dos direitos do povo palestino que com Daniel Barenboim fundou a West Eastern Divan Orchestra falec eu em 25 de Setembro de 2003 Assinalando o 10º aniversário do seu falecimento o MPPM homenageou a sua memória com uma conversa informal realizada na Livraria Bulhosa Entrecampos e

    Original URL path: http://www.mppm-palestina.org/index.php/cultura-palestina (2016-04-25)
    Open archived version from archive

  • Ocupação Israelita
    palestinos passaram a ser chamados refugiados ou a pequena minoria que escapou à expulsão generalizada do Estado de Israel árabes israelitas A limpeza étnica da Palestina tem verdadeiramente início ainda antes da criação do Estado de Israel na sequência do movimento sionista impulsionado por Theodor Herzl e é estimulada pela célebre Declaração Balfour de 1917 que previa a criação de um lar nacional para o povo judeu na Palestina A derrota do Império Otomano de que a Palestina fazia parte no fim da Primeira Guerra Mundial e a passagem do território para mandato britânico em 1922 vieram facilitar as ambições do sionismo internacional A progressiva imigração judaica na Palestina incrementada com as perseguições nazis começa a ocupar estrategicamente o espaço onde pretende implantar o seu Estado E não hesita em constituir grupos armados como o Haganah o Irgun e o Lehi ou Stern Gang que não só atacam os palestinos como os próprios ingleses O Lehi assassinou em 1944 o ministro de Estado para o Médio Oriente Lord Moyne e o Irgun fez explodir em 1946 o Hotel King David em Jerusalém onde estava instalado o quartel general britânico provocando cerca de 100 mortos Já em 1948 a 17 de Setembro depois da independência o Lehi assassinou em Jerusalém o Conde Bernadotte presidente da Cruz Vermelha Sueca que actuava como mediador das Nações Unidas para resolver problemas originados pela partilha do território Os ataques contra os palestinos numa programada operação de limpeza étnica conforme atestam os próprios documentos dos arquivos israelitas sucederam se sendo um dos mais cruéis o que destruiu a aldeia de Deir Yassin em 9 de Abril de 1948 levado a cabo pelo Irgun Para além dos mortos em defesa das suas casas que foram arrasadas mais de 100 palestinos foram friamente abatidos no local o que

    Original URL path: http://www.mppm-palestina.org/index.php/ocupacao-israelita (2016-04-25)
    Open archived version from archive

  • Guerras e Agressões
    a Síria conheceram no domingo dia 6 de Maio um salto qualitativo de consequências imprevisíveis O bombardeamento israelita de instalações militares em Damasco que segundo algumas fontes terá envolvido a utilização de armas com urânio empobrecido é um intolerável acto de guerra e uma violação descarada da soberania de um Estado que desde há décadas tem parte do seu território os Montes Golã ilegalmente ocupada por Israel Israel revela se uma vez mais uma perigosa fonte de guerra e de agressão contra todos os países do Médio Oriente 2 O MPPM exprime a sua condenação frontal da escalada militar israelita que não tem qualquer possível justificação É imperativo que o Governo Português condene frontalmente e em todas as sedes esta grosseira violação da legalidade internacional Não é aceitável a impunidade de que Israel continua a gozar por parte dos EUA e de muitas potências europeias É urgente pôr fim a toda e qualquer ingerência externa no conflito sírio ingerências que apenas agravam o já de si terrível drama do povo sírio 3 O MPPM alerta todos os portugueses para a gravidade do que se está a passar no Médio Oriente A promoção deliberada do terrorismo fundamentalista e dos ódios sectários está ao serviço de apetites hegemónicos e de dominação sobre os enormes recursos energéticos da região A impunidade belicista de Israel ameaça incendiar toda a região e desencadear conflitos que podem rapidamente ultrapassar as fronteiras do Médio Oriente O que está em causa não é apenas a paz regional Ler mais Face à ingerência e à agressão externas Defender a Paz e a soberania dos povos do Médio Oriente No momento em que se assinalam 10 anos sobre a agressão militar contra o Iraque e posterior ocupação daquele país pelos EUA e seus aliados ocupação derrotada pela resistência iraquiana mas

    Original URL path: http://www.mppm-palestina.org/index.php/guerras-e-agressoes (2016-04-25)
    Open archived version from archive

  • Refugiados e Deslocados
    Junho 21h30 MOB Espaço Associativo Rua dos Anjos 12 F Lisboa De uma raiz mais profunda Programa Documentário Das Pedras à Liberdade Paulo Vargues 29 Exibição fotográfica O Teatro como forma de resistência na Palestina Ocupada Micaela Miranda Freedom Theatre Debate O papel da arte nos campos de refugiados palestinos Hélder Costa A Barraca Micaela Miranda Freedom Theatre e Carlos Almeida MPPM Neste ano da 2014 proclamado pelas Nações Unidas como Ano Internacional de Solidariedade com o Povo Palestino a Apordoc Associação pelo Documentário acolheu uma proposta do MPPM para assinalar o Dia Mundial do Refugiado com uma sessão do Rossio um cineclube informal irregular e itinerante dedicada aos refugiados palestinos porque dois em cada cinco refugiados em todo o mundo são palestinos porque os refugiados palestinos são os que se encontram há mais tempo nesta situação porque 7 milhões de palestinos constituindo três quartos da população são refugiados ou deslocados A questão dos refugiados ocupa uma posição central no ideário do movimento nacional palestino A esperança do regresso às casas e terras de que foram expulsos em consequência da criação do estado de Israel e das sucessivas guerras que lhes foram impostas passa imorredoura de geração em geração Contam para isso com a força da solidariedade dos povos de todo o mundo para que levem a comunidade internacional a assumir as suas responsabilidades históricas viabilizando a constituição do Estado Palestino livre e com uma solução justa para a questão dos refugiados dando cabal cumprimento às sucessivas resoluções da Nações Unidas e respeitando o direito internacional e o direito internacional humanitário O programa abre com a exibição do documentário Das Pedras à Liberdade com montagem e edição de Paulo Vargues A Barraca que ilustra o trabalho do Freedom Theatre um projecto cultural localizado no campo de refugiados de Jenin na Palestina Ocupada que visa a formação de elementos da comunidade utilizando as artes como motor da mudança social Micaela Miranda uma actriz portuguesa que é professora no Feedom Theatre irá contextualizar o seu trabalho na situação dos habitantes do campo de refugiados ilustrando a intervenção com fotografias obtidas por si e por jovens refugiados O debate final será moderado pela APORDOC e os intervenientes serão Hélder Costa A Barraca Micaela Miranda Freedom Theatre e Carlos Almeida MPPM A Apordoc Associação pelo Documentário é uma associação cultural sem fins lucrativos Fundada em 1998 o seu objectivo é estimular e promover uma cultura do documentário A Associação pretende ser um espaço de encontro e discussão permanente para todos os interessados no documentário No momento actual a Apordoc tem procurado implantar se na cidade de Lisboa e no restante território nacional de forma profunda e perene em particular na área de programação de documentário e de projectos de literacia visual Pretende se assim cultivar e afirmar no espaço público outras frentes de trabalho e de relação com a sociedade portuguesa e com parceiros internacionais para além dos eventos concentrados em poucos dias como o DocLisboa e que têm sido as principais marcas da

    Original URL path: http://www.mppm-palestina.org/index.php/refugiados-e-edeslocados (2016-04-25)
    Open archived version from archive

  • Direitos Humanos
    da Água definido pela ONU através da resolução A RES 47 193 de 21 de Fevereiro de 1993 Nos Territórios Palestinos Ocupados TPO a luta pelo acesso à água é frequente quotidiana A água utilizada diariamente por cada palestino é muito inferior à recomendada pela Organização Mundial de Saúde como condição básica de vida 100 litros dia Mas a Palestina tem água suficiente Tem nascentes rios e lagos e boas estações chuvosas anualmente em Jerusalém chovem 537 mm de água enquanto em Londres no mesmo período chovem 583 6 mm O problema que se coloca não é assim a existência de recursos hídricos nos TPO mas sim a forma como são geridos Ler mais Liberdade para os palestinos presos por Israel A morte do cidadão palestino Arafat Jaradat ocorrida no passado dia 23 de Fevereiro nas cadeias israelitas veio uma vez mais chamar a atenção da opinião pública para a situação dramática em que se encontram os prisioneiros palestinos nas prisões do Estado de Israel Ainda que as autoridades israelitas tenham de início alegado motivos cardíacos para a morte a autópsia ao corpo de Arafat Jaradat entretanto realizada no Instituto Nacional de Medicina Forense de Israel na presença de um

    Original URL path: http://www.mppm-palestina.org/index.php/direitos-humanos (2016-04-25)
    Open archived version from archive

  • Processos de Paz
    No 20º aniversário da assinatura do primeiro Acordo de Oslo o reconhecimento de um fracasso anunciado O Acordo de Oslo I O Acordo de Oslo I ou na sua designação oficial a Declaração de Princípios sobre os acordos de Auto governação Interina foi assinado a 13 de Setembro de 1993 em Washington pelo Governo de Israel e a OLP sob a supervisão do governo dos Estados Unidos Embora não sejam as suas assinaturas que constam no texto do Acordo a fotografia que simboliza a cerimónia de assinatura junta os então Presidente dos EUA Clinton Presidente da OLP Yasser Arafat e Primeiro Ministro de Israel Yitzak Rabin O Acordo de Oslo previa a criação duma Autoridade Nacional Palestina com responsabilidade de administração interna em territórios na Faixa de Gaza e Margem Ocidental incluindo territórios dos quais o exército de Israel se deveria retirar No entanto o Acordo retirou o controlo das fronteiras desses territórios à ANP Os territórios sob administração da ANP ficavam assim desde o início numa situação de dependência face a Israel Além disso o Acordo não resolvia questões fulcrais do problema palestino tais como a existência dum Estado Palestino a questão dos colonatos israelitas a gestão dos recursos

    Original URL path: http://www.mppm-palestina.org/index.php/processos-de-paz (2016-04-25)
    Open archived version from archive



  •